DENTOMAXILLOFACIAL SEQUELAE RESULTING FROM A CHEMORADIOTHERAPY AGAINST RHABDOMYOSARCOMA: 6-YEAR FOLLOW-UP

  • Adilis Kalina Alexandria Department of Preventive and Community Dentistry, Rio de Janeiro State University (UERJ), Rio de Janeiro, RJ, Brazil
  • Patricia Nivoloni Tannure Veiga de Almeida University (UVA), São Leopoldo Mandic University, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
  • Camila Nassur Department of Pediatric Dentistry and Orthodontics, Faculty of Dentistry, Federal University of Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brazil
  • Gloria Fernanda Barbosa de Araújo Castro Department of Pediatric Dentistry and Orthodontics, Faculty of Dentistry, Federal University of Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brazil
  • Ivete Pomarico Ribeiro de Souza Department of Pediatric Dentistry and Orthodontics, Faculty of Dentistry, Federal University of Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Resumo

Introdução: O rabdomiossarcoma é uma neoplasia maligna agressiva de tecido mole de células mesenquimais imaturas tratadas com cirurgia e quimioradioterapia. Os efeitos da quimioradioterapia na cabeça induzem uma série de sequelas na cavidade oral e no desenvolvimento do crescimento. Objetivo:
Relatar o caso de uma criança em tratamento de rabdomiossarcoma cujos efeitos no desenvolvimento dento-maxilofacial foram cuidados a fim de salvaguardar a qualidade de vida do paciente. Relato de caso: Descreve um caso de defeitos dento-maxilo-faciais graves resultante de quimioradioterapia para
rabdomiossarcoma embrionário em uma criança, bem como o manejo realizado. Clinicamente, a paciente apresentava gengivite, severa mobilidade dos dentes permanentes, hipossalivação, mucosite e trismo severo. Os exames radiográficos mostraram interrupção da formação radicular de todos os dentes permanentes e retenção dos dentes decíduos. Análises cefalométricas revelaram hipoplasia mandibular e maxilar. Resultados: Foi realizada a extração dos dentes decíduos retidos associado a um programa profilático e uso de saliva artificial devido à hipossalivação, a fim de melhorar a qualidade de vida do paciente. Após 6 anos de acompanhamento odontológico e fonoaudiológico, sua abertura bucal aumentou e as dificuldades de mastigação e deglutição diminuíram, não há gengivite ou mucosite e ela permaneceu livre de doenças recorrentes ou metastáticas 11 anos após o diagnóstico inicial. Conclusão: Nosso relato enfatiza a importância do tratamento odontológico com um programa de prevenção e acompanhamento para pacientes submetidos a terapias antineoplásicas.

Biografia do Autor

Adilis Kalina Alexandria, Department of Preventive and Community Dentistry, Rio de Janeiro State University (UERJ), Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Department of Preventive and Community Dentistry, Rio de Janeiro State University (UERJ), Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Department of Pediatric Dentistry and Orthodontics, Faculty of Dentistry, Federal University of Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Publicado
2019-10-12
Como Citar
ALEXANDRIA, Adilis Kalina et al. DENTOMAXILLOFACIAL SEQUELAE RESULTING FROM A CHEMORADIOTHERAPY AGAINST RHABDOMYOSARCOMA: 6-YEAR FOLLOW-UP. Revista Científica do CRO-RJ (Rio de Janeiro Dental Journal), [S.l.], v. 4, n. 2, p. 52-55, out. 2019. ISSN 2595-4733. Disponível em: <http://revcientifica.cro-rj.org.br/index.php/revista/article/view/97>. Acesso em: 08 abr. 2020. doi: https://doi.org/10.29327/24816.4.2-9.
Seção
Relato de Caso