ORAL HEALTH-RELATED QUALITY OF LIFE OF 8-10 YEAROLD CHILDREN WITH TRAUMATIC DENTAL INJURY

Dental trauma and quality of life

  • Lívia Azeredo Alves Antunes Department of Specific Formation, School of Dentistry, Health Institute of Nova Friburgo, Universidade Federal Fluminense, Nova Friburgo, RJ, Brazil
  • Eluza Piassi Posgraduate Program in Dentistry, School of Dentistry, Fluminense Federal University, Niterói, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
  • Ana Júlia Milani Posgraduate Program in Dentistry, School of Dentistry, Fluminense Federal University, Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Brazil
  • Leonardo dos Santos Antunes Department of Specific Formation, School of Dentistry, Health Institute of Nova Friburgo, Universidade Federal Fluminense, Nova Friburgo, RJ, Brazil
  • Ronir Raggio Luiz Institute of Public Health Studies, Federal University of Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
  • Anna Thereza Thomé Leão Department of Dental Clinics, School of Dentistry, Rio de Janeiro Federal University, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
  • Lucianne Cople Maia Department of Pediatric Dentistry and Orthodontics, School of Dentistry, Rio de Janeiro Federal University, Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Resumo

Introdução: Crianças apresentam alta prevalência de traumatismo dentário (TD). Objetivo: Detectar o impacto do TD na qualidade de vida relacionada à saúde bucal (QVRSB) nessa faixa etária. Métodos: Um estudo transversal foi realizado com amostra de conveniência recrutando-se crianças de 8-10 anos com TD em dente permanente por um período de 18 meses em clínica pública. Dados sobre a QVRSB foram coletados através da versão brasileira do CPQ8-10 (B-CPQ8-10). O TD foi classificado de acordo com os critérios de Andreasen e agrupado de acordo com sua gravidade. As variações nos escores e o impacto do TD na QVRSB, de acordo com idade, gênero e gravidade do TD foram examinados por meio de testes estatísticos não paramétricos (teste de Kruskall-Wallis e Mann-Whitney, p <0,05). Resultados: De uma amostra de 255 crianças, 41 crianças saudáveis que sofreram TD em dentes permanentes foram incluídas no estudo. O escore médio do B-CPQ8-10 foi 29,7 (DP 14,3). Os domínios bem-estar emocional e social apresentaram maior impacto negativo com média de 8,8 (DP 5,9) e 9,8 (DP 6,3), respectivamente. A diferença de gênero e a gravidade do TD não apresentaram relação de impacto na QVRSB. Em relação a idade, crianças de 10 anos tiveram maior impacto na escala global da QVRSB (p <0,05) e na subescala de limitação funcional (p <0,05). Conclusão: O TD impacta negativamente a QVRSB de crianças de 8 a 10 anos de idade.

Biografia do Autor

Lívia Azeredo Alves Antunes, Department of Specific Formation, School of Dentistry, Health Institute of Nova Friburgo, Universidade Federal Fluminense, Nova Friburgo, RJ, Brazil

Department of Specific Formation, School of Dentistry, Health Institute of Nova Friburgo, Universidade Federal Fluminense, Nova Friburgo, RJ, Brazil.
Posgraduate Program in Dentistry, School of Dentistry, Fluminense Federal University, Niterói, Rio de Janeiro, RJ, Brazil.
Posgraduate Program in Dentistry, School of Dentistry, Fluminense Federal University, Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Brazil.

Publicado
2019-05-21
Como Citar
ANTUNES, Lívia Azeredo Alves et al. ORAL HEALTH-RELATED QUALITY OF LIFE OF 8-10 YEAROLD CHILDREN WITH TRAUMATIC DENTAL INJURY. Revista Científica do CRO-RJ (Rio de Janeiro Dental Journal), [S.l.], v. 4, n. 1, p. 48-54, maio 2019. Disponível em: <http://revcientifica.cro-rj.org.br/index.php/revista/article/view/90>. Acesso em: 14 out. 2019.
Seção
Artigos