GENETIC POLYMORPHISM IN ESR2 AND RISK OF TOOTH AGENESIS

  • Guido Artemio Marañón-Vásquez Department of Pediatric Dentistry and Orthodontics, School of Dentistry, Federal University of Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
  • Paula Porto Spada Department of Dentistry, Positivo University, Curitiba, PR, Brazil
  • Marjorie A. Omori Department of Pediatric Dentistry, School of Dentistry of Ribeirão Preto, University of São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brazil
  • João Zielak Department of Dentistry, Positivo University, Curitiba, PR, Brazil
  • José Tarcísio Lima Ferreira Department of Pediatric Dentistry, School of Dentistry of Ribeirão Preto, University of São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brazil
  • Mônica Tirre de Souza Araújo Department of Pediatric Dentistry and Orthodontics, School of Dentistry, Federal University of Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
  • Mírian Aiko Nakane Matsumoto Department of Pediatric Dentistry, School of Dentistry of Ribeirão Preto, University of São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brazil
  • Erika Calvano Kuchler Department of Pediatric Dentistry, School of Dentistry of Ribeirão Preto, University of São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brazil

Resumo

Introdução: A agenesia dentária (AD) é a ausência congênita de um ou mais dentes. Vários estudos vêm sugerindo o forte componente genético para essa condição. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo avaliar se os polimorfismos genéticos nos genes que codificam os receptores de estrógeno (ESR1 e ESR2) estão associados à ocorrrência de AD isolada em uma amostra brasileira. Métodos: Radiografias panorâmicas de 142 pacientes ortodônticos foram avaliadas para determinar AD de dentes permanentes (excluindo terceiros molares). O DNA dos pacientes foi extraído das células da mucosa bucal contidas na saliva para avaliar polimorfismos genéticos em ESR1 (rs2234693 e rs9340799) e ESR2 (rs1256049 e rs4986938) por genotipagem usando a técnica de PCR em tempo real. Para análises estatísticas, associações entre as distribuições dos alelos e genótipos e a ocorrrência de AD foram avaliadas para cada polimorfismo genético, com um alfa estabelecido de 5%. Resultados: Treze pacientes tiveram pelo menos 1 dente congenitamente ausente. O número de dentes congenitamente ausentes variou de 1 a 11. Os polimorfismos genéticos rs2234693 e rs9340799 no ESR1 e rs1256049 no ESR2 não foram associados à AD (p > 0,05). Para o polimorfismo genético rs4986938 no ESR2, as distribuições dos genótipos e dos alelos foram estatisticamente diferentes entre os pacientes com e sem AD (p < 0,05). O genótipo CC e o alelo C estavam super-representados nos pacientes com AD. Conclusão: Houve associação entre o polimorfismo genético rs4986938 no ESR2 e a ocorrrência de AD.

Publicado
2019-05-21
Como Citar
MARAÑÓN-VÁSQUEZ, Guido Artemio et al. GENETIC POLYMORPHISM IN ESR2 AND RISK OF TOOTH AGENESIS. Revista Científica do CRO-RJ (Rio de Janeiro Dental Journal), [S.l.], v. 4, n. 1, p. 28-33, maio 2019. Disponível em: <http://revcientifica.cro-rj.org.br/index.php/revista/article/view/89>. Acesso em: 26 ago. 2019.
Seção
Artigos