MAXILLARY DENTAL MIDLINE DEVIATION IN THE PATIENT PERSPECTIVE

  • Thaís Magalhães Galindo Department of Odontoclinic, Discipline of Orthodontics, School of Dentistry at Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil
  • Licínio Esmeraldo da Silva Department of Statistics, School of Mathematics at Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil
  • Andréa Fonseca Jardim da Motta Department of Odontoclinic, Discipline of Orthodontics, School of Dentistry at Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil
  • Adriana de Alcantara Cury-Saramago Department of Odontoclinic, Discipline of Orthodontics, School of Dentistry at Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil

Resumo

Objetivo: O objetivo foi avaliar a percepção estética do desvio da linha média dentária por pacientes ortodônticos; influência de estruturas adjacentes ao sorriso na percepção de desvios; e diferença de percepção entre pacientes tratados em Universidade e consultório particular. Métodos: Neste estudo comparativo observacional transversal uma fotografia de mulher sorrindo foi modificada digitalmente com desvios da linha média para a esquerda em relação à face. Doze fotografias foram recortadas para obter o grupo LCN incluindo lábios, queixo e 2/3 nariz; e grupo L incluindo lábios. O teste não paramétrico de Friedman ( = 0.05), seguido pelo de Wilcoxon, corrigido pelo teste de Bonferroni ( = 0.0033) foram utilizados para comparações múltiplas. O teste de Mann-Whitney foi aplicado para comparar grupos LCN e L, verificando a influência das estruturas adjacentes ao sorriso. O coeficiente de Pearson foi usado para correlação e regressão dos desvios sobre a estética do sorriso, adotando nível de significância de 5%.Resultados: Desvios de 2 mm foram identificados. Comparando grupos LCN e L houve diferença estatisticamente significante nos desvios de 2 e 3 mm. Entre pacientes da universidade e do consultório houve diferença significativa ao comparar fotografias no grupo LCN, sem desvio e desvios de 2, 4 e 5 mm.
Conclusões: pacientes ortodônticos são capazes de detectar desvio da linha média dentária maxilar de 2 mm. Estruturas adjacentes ao sorriso influenciaram na percepção do desvio para os pacientes privados. Os pacientes da Universidade foram mais críticos do que os de consultório particular.

Publicado
2019-10-12
Como Citar
MAGALHÃES GALINDO, Thaís et al. MAXILLARY DENTAL MIDLINE DEVIATION IN THE PATIENT PERSPECTIVE. Revista Científica do CRO-RJ (Rio de Janeiro Dental Journal), [S.l.], v. 4, n. 2, p. 27-34, out. 2019. ISSN 2595-4733. Disponível em: <http://revcientifica.cro-rj.org.br/index.php/revista/article/view/87>. Acesso em: 21 fev. 2020. doi: https://doi.org/10.29327/24816.4.2-5.
Seção
Artigos